CONFAZ determina incidência de ICMS sobre geração de energia solar fotovoltaica pelo consumidor no Sistema de Compensação de Energia

Através do CONVÊNIO ICMS 6, DE 5 DE ABRIL DE 2013, o CONFAZ determina a incidência de ICMS sobre  geração de energia solar fotovoltaica pelo consumidor no sistema de Compensação de Energia.

O imposto incidirá sobre o total de energia que entra na instalação do consumidor, o que inclui a energia gerada pelo consumidor durante o dia e que é enviada por empréstimo para a distribuidora armazenar e devolver à noite.

Esta medida não estimula a instalação de sistemas fotovoltaicos pois diminui a competitividade da microgeração e da minigeração.

Veja na integra a resolução (aqui) e também o comentário do jornalista André Trigueiro (aqui).


CURSO DE PROJETISTA DE SISTEMAS DE ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA

CURSO DE PROJETISTA DE SISTEMAS DE  ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA

Presencial – 07 e 08 de junho de 2013
Carga horária: 16 h – 08h30 a 17h30
Local: Belo Horizonte – MG – Loja Elétrica – Centro de Treinamento.
Av. Dom Pedro II, 3703 – Bairro Padre Eustáquio – CEP: 30720-460.

A QUEM INTERESSA:

Engenheiros, técnicos, professores, estudantes e
profissionais com interesse em se capacitar na
elaboração de projetos de geradores fotovoltaicos
autônomos e de micro, mini e grandes centrais
fotovoltaicas para conexão à rede elétrica.

Brochura do curso aqui: Curso-Projetista-de-Sistemas-de-energia-solar-fotovoltaica-070613


Monografias > UFLA-FAE

As monografias disponíveis aqui foram preparadas por alunos do curso de especialização em Fontes Alternativas de Energia da Universidade Federal de Lavras (UFLA-FAE) sob orientação do professor Carlos Alberto Alvarenga.

Sua divulgação foi autorizada pelos autores e pela coordenação do curso.
A Solenerg Engenharia não tem nenhuma responsabilidade pelo conteúdo das mesmas.

Energia Solar Fotovoltaica

:: SISTEMA FOTOVOLTAICO ISOLADO: UMA APLICAÇÃO PRÁTICA NO PROJETO XAPURI | CLÁZIA RAMAYANA FREITAS DE CARVALHO >> 

:: PRÉ-DIMENSIONAMENTO DE UM SISTEMA FOTOVOLTAICO CONECTADO À REDE ELÉTRICA PARA A UNIVERSIDADE DO SUDOESTE DA BAHIA, CAMPUS DE ITAPETINGA | JOSÉ VALDERI CAVALCANTE SILVA >> 

:: O USO DA LUZ SOLAR COMO FONTE DE ENERGIA ELÉTRICA ATRAVÉS DE SISTEMA FOTOVOLTAICO – SF | RÓGER RENÓ BIGGI >> 

:: SISTEMAS FOTOVOLTAICOS: CONTEXTUALIZAÇÃO E PERSPECTIVAS PARA SUA MASSIFICAÇÃO NO BRASIL | ARTHUR PORTILHO FRANCO >> 

:: Utilização das formas alternativas de ENERGIA nas cidades para a suprir a demanda sempre crescente | Christian Sartoreli >> 

:: Estudo comparativo do aproveitamento da ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA em relação a REDE DE DISTRIBUIÇÃO na ELETRIFICAÇÃO RURAL do estado de Tocantins | Felipe Bittencourt >> 

:: Sistemas FOTOVOLTAICOS conectados à REDE ELÉTRICA | Carlos Fernando Câmara >> 

:: Utilização de ENERGIA SOLAR no campus sede da Universidade Federal da Fronteira Sul | Silvio Antonio Teston >> 

:: PRÉ-ELETRIFICAÇÃO rural utilizando SISTEMAS FOTOVOLTAICOS em atendimento à legislação da ANEEL | Jose Mario Furtado >> 

:: A ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA utilizada em bombeamentos de água – aplicações e perspectivas | Alvaro Polido Lopes Junior >> 

:: Fontes alternativas de energia na GERAÇÃO DE ELETRICIDADE – aplicações e perspectivas das CÉLULAS FOTOVOLTAICAS e outras fontes de energia | Idelton Lemos >>

:: Princípio de funcionamento da CÉLULA FOTOVOLTAICA | Cassio Araujo do Nascimento >> 

:: Materias e processos de fabricação de CÉLULAS FOTOVOLTAICAS | Almir Ghensev >> 

:: Uso da ENERGIA SOLAR para alimentação de ESTAÇÕES DE RÁDIO BASE | Pedro Alberto Brasil Vieira dos Santos >> 

:: ELETRIFICAÇÃO de edificações rurais isoladas utilizando ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA | Jose Luiz de Paula Alves da Cunha >> 

:: Uso de ENERGIA SOLAR para GERAÇÃO DE ELETRICIDADE e para AQUECIMENTO DE ÁGUA | Átalo Antonio Rodrigues Tiradentes >>

:: ALIMENTAÇÃO de motores para refrigeração doméstica utilizando ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA | Luis Roberto Osis >> 

:: TECNOLOGIA FOTOVOLTAICA em filmes finos (películas delgadas) | Hallyson Eduardo Oliveira >> 

:: Revitalização do SISTEMA FOTOVOLTAICO do CEFETSE/UNED LAGARTO | Marcos de Oliveira Santos >>

:: SISTEMA FOTOVOLTAICO como fonte de energia para CERCAS ELÉTRICAS | Ivan Cruzick de Souza Magaldi >> 

:: ELETRIFICAÇÃO de escolas rurais no município de CAVALCANTE-GO | Hiroyuki Nemoto >>

Aquecedores Solares

:: Análise de um pequeno sistema de AQUECIMENTO SOLAR instalado no interior do estado de Minas Gerais | Cristiane Queiroga Netto >> 

:: Redução no consumo de ENERGIA ELÉTRICA, através de modificação do SISTEMA CONVENCIONAL DE AQUECIMENTO DE ÁGUA por placas de CAPTAÇÃO DE CALOR através de RADIAÇÃO SOLAR | Gilberto Carvalho Motta >>

:: COLETOR SOLAR para AQUECIMENTO D´AGUA e tratamento do solo | Ivina Carlos de Assis >> 

:: Proposta de utilização de ENERGIA SOLAR para AQUECIMENTOS DE ÁGUA e fluentes para linhas tratamento de superfície na ATLAS INDÚSTRIA DE ELETRODOMÉSTICOS LTDA | Marcio Venzon >>

:: Projeto de um sistema de AQUECIMENTO SOLAR DE ÁGUA para pousadas | Carlos Henrique Fiche de Carvalho >>

:: Descritivo do SISTEMA DE AQUECIMENTO DE ÁGUA por ENERGIA SOLAR na empresa IEM-INTERCÂMBIO ELETROMECÂNICO | Marcos Leandro da Silva Pereira >> 

:: Viabilidade econômica, social e ambiental na utilização de AQUECIMENTO SOLAR em substituição aos chuveiros elétricos convencionais | Adão Soares de Macedo >> 

:: Emprego da ENERGIA SOLAR PARA PRÉ-AQUECIMENTO DE ÁGUA do refeitório da unidade agrícola do CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE PETROLINA CEFET-PET | Luiz Carlos Nascimento Lopes >> 

:: COLETOR PLANO MÚLTIPLO | Antonio Nilton Orrico dos Santos >> 

:: PROGRAMA HABITACIONAL MINHA CASA, MINHA VIDA: Oportunidade de aplicação do AQUECIMENTO SOLAR | Giordani Lopes Tavares >> 

:: AQUECEDOR SOLAR em substituição ao chuveiro elétrico | Francisco Rodrigues Patto >> 

Energia Eólica

:: VARIAÇÃO INTERANUAL DOS VENTOS DO NORDESTE | EDUARDO VICTOR DIAS >> 

:: O IMPACTO DO PROGRAMA DE INCENTIVO ÀS FONTES ALTERNATIVAS DE ENERGIA ELÉTRICA – PROINFA NO MERCADO CATIVO DA COMPANHIA DE ELETRICIDADE DO ESTADO DA BAHIA – COELBA | CHRISTIANNO ROBERTO LEITE FREITAS >> 

:: Proteções de SISTEMAS ELÉTRICOS: Uma visão de sua utilização em PARQUES EÓLICOS | Julio Cesar Moura >> 

:: Viabilidade na GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA através das CENTRAIS EÓLICAS NO NORDESTE-situação atual e perspectivas para GERAÇÃO DE ENERGIA na BAHIA e no NORDESTE através das CENTRAIS EÓLICAS | Thelmo Francisco Pereira da Silva >> 

:: Avaliação do potencial de produção de ENERGIA EÓLICA em larga escala no municipio de PIATÃ/BA | Roberto  Solano de Freitas >> 

:: Viabilidade de captação da ENERGIA EÓLICA nos OCEANOS – CAPTAÇÃO OFFSHORE | Jose Rafael Portella  >> 

:: ENERGIA EÓLICA no RIO GRANDE DO SUL | Ivo Pereira de Souza >>

:: O uso da ENERGIA EÓLICA como fonte alternativa para solucionar problemas de ENERGIA E BOMBEAMENTO DE ÁGUA SUBTERRÂNEA em locais isolados | Marisa Rodrigues de Lima >> 

:: Viabilidade técnica/econômica para produção de ENERGIA EÓLICA, em grande escala, no NORDESTE brasileiro | Fernando Delgado Moreira Junior >>

:: Proposta de utilização de ENERGIA EÓLICA e outras formas de energias alternativas como geração complementar na EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO | Patricia Iris da Silva Peres >> 

Diversos

:: Micro-geração de energia elétrica através de sistema híbrido EÓLICO/SOLAR para uso residencial | Luciana de Freitas Conceição >> 

:: ENERGIA SOLAR | Silvio Luiz Amalfi  >>

:: DESTILADORES SOLARES no BRASIL | Alexandre Prata Maluf  >> 

:: Implantação do curso de ENERGIA SOLAR no SENAI de PERNAMBUCO | Ivson Ribeiro da Silva >> 

:: Projeto de refrigeração através da utilização da ENERGIA SOLAR | Luis Eduardo >>

:: ENERGIA SOLAR: Vantagens do investimento desta fonte de energia alternativa na REGIÃO DO NORDESTE | Ronilda Aparecida Brandão Souza >> 

:: ENERGIA SOLAR – Uma alternativa viável? | Pedro Carlos Rodrigues Nunes >> 

:: A influência do consumo de energia sobre o DESENVOLVIMENTO e o MEIO AMBIENTE | João Batista Pessanha >>

:: SUSTENTABILIDADE ENERGÉTICA INDUSTRIAL | Marcela Alvares Maciel >>

:: O impacto das pequenas CENTRAIS HIDRELÉTRICAS – PCHS NO MEIO AMBIENTE | Cassio Luiz Nilton >>

:: CERÂMICA CANAÃ: Propostas para o uso racional da ENERGIA | Marcio Machado Vale >> 

:: Novas perspectivas para a ENERGIA SOLAR no BRASIL | Jose Tomas Niedhardt >> 

 

 


Curso de Energia Solar Fotovoltaica 9ª turma

Aconteceu no último sábado, 09/03/2013, a 9ª edição do Curso de Energia Solar Fotovoltaica da Solenerg, na Loja Elétrica em Belo Horizonte.

Os níveis de aproveitamento foram ótimos, e você pode fazer sua pré-inscrição para a próxima turma clicando aqui <<
solenerg-curso edicao 9


Cemig divulga normas para acesso de microgeradores e minigeradores ao seu sistema elétrico

04.10-Cemig_60anos2A Cemig divulgou em seu site as normas e os formulários para preenchimento para acesso ao seu sistema por aqueles que querem gerar sua própria energia. A partir desta publicação qualquer consumidor pode instalar em sua propriedade um gerador fotovoltaico (ou de outras fontes) e usar o sistema elétrico como uma bateria para armazenar esta eletricidade produzida. Ou seja, ele pode gerar quando há insolação adequada e consumir esta eletricidade em qualquer hora do dia ou da noite, em dias nublados ou chuvosos inclusive.

Com isso ficou resolvida a principal limitação dos geradores fotovoltaicos que é a inconstância na geração. Agora a rede elétrica garante que a energia que você gera estará sempre disponível sem precisar usar as incômodas, pouco duráveis e poluentes baterias elétricas.

O Sistema de Compensação de Energia funciona assim: o consumidor instala um pequeno gerador fotovoltaico em sua unidade consumidora e empresta a energia gerada à Cemig (ou a distribuidora local) que devolve quando houver consumo.  Pelo sistema, a unidade geradora instalada em uma residência, por exemplo, produzirá energia e o que não for consumido será injetado no sistema da distribuidora, que utilizará o crédito para abater o consumo dos meses subsequentes. Os créditos poderão ser utilizados em um prazo de 36 meses e as informações estarão na fatura do consumidor, a fim de que ele saiba o saldo de energia e tenha o controle sobre a sua fatura. As empresas com filiais que optarem por participar do sistema de compensação também poderão utilizar o excedente produzido em uma de suas instalações para reduzir a fatura de outra unidade.  O consumidor terá que pagar a diferença entre o custo do novo medidor e do antigo mas a Cemig será responsável pela instalação e manutenção. Terá que instalar também uma chave seccionadora visível e uma placa de advertência junto ao padrão para que a CEMIG possa desconectar completamente o seu sistema de geração quando estiver realizando algum serviço na rede.

A chamada “geração distribuída” traz uma série de vantagens sobre a geração centralizada tradicional, como, por exemplo, economia dos investimentos em transmissão, redução das perdas nas redes e melhoria da qualidade do serviço de energia elétrica. Como o sistema está direcionado para geradores que utilizem fontes renováveis de energia, a CEMIG espera oferecer melhores condições para o desenvolvimento sustentável do setor elétrico brasileiro, com aproveitamento adequado dos recursos naturais e utilização eficiente das redes elétricas.

Para acessar a rede da Cemig é preciso em primeiro lugar, com ajuda de uma empresa capacitada, fazer uma análise da área disponível para instalação dos módulos fotovoltaicos que não deve ser sombreada na maior parte do dia. O engenheiro responsável (que deverá ser registrado no CREA) irá dimensionar o gerador fotovoltaico adequado de acordo com o seu consumo de energia. Após (ou durante o processo) adquirir o gerador e instalá-lo conforme as normas da CEMIG o consumidor deve realizar uma Consulta de Acesso ao sistema elétrico da Cemig preenchendo um formulário os dados técnicos do gerador instalado. Deve então apresentar o formulário devidamente preenchido e assinado e a ART (anotação de responsabilidade técnica) do projeto do sistema de geração nas agências e postos de atendimento da CEMIG e aguardar até 30 dias para emissão do parecer de acesso. Depois disso a Cemig faz uma vistoria no seu gerador e emite um relatório de vistoria. E em mais alguns dias ela aprova sua conexão e começa a funcionar a troca de energia. O consumidor tem que assinar também um documento de celebração de relacionamento operacional. O processo é simples mas pode durar até 82 dias.

Para acessar o formulário e as normas completas de acesso na baixa tensão visite o link http://www.cemig.com.br/ClientesCorporativos/Paginas/MicroMinigeração.aspx

 


ANEEL altera regras para facilitar a geração de energia nas unidades consumidoras

ANEEL ALTERA REGULAMENTO PARA A INSTALAÇÃO DE

GERADORES FOTOVOLTAICOS CONECTADOS A REDE

Está em audiência pública a alteração das regras do sistema de compensação de energia que estão sendo regulamentadas pelas distribuidoras de energia. A ANEEl concluiu que a Resolução Normativa nº 482/2012 necessita de modificações com o intuito de clarificar questões relacionadas à natureza jurídica do sistema de compensação de energia elétrica, à compensação da energia elétrica em outras unidades consumidoras de mesma titularidade, à dispensa da assinatura de contratos na qualidade de gerador para participantes do sistema de compensação e seu tratamento como unidade consumidora, à ordem de compensação dos créditos de energia ativa e à aplicação da relação entre as tarifas de energia (TE). Veja integra das modificações propostas nos links:

Nota Técnica n° 0163/2012-SRD/ANEEL

Minuta das alterações na RN 482

Aviso de audiência pública

A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) aprovou em 17/04/12 regras destinadas a reduzir barreiras para instalação de geração distribuída de pequeno porte com energia solar fotovoltaica, que incluem a microgeração, com até 100 KW de potência, e a minigeração, de 100 KW a 1 MW. A norma cria o Sistema de Compensação de Energia, que permite ao consumidor instalar pequenos geradores fotovoltaicos em sua unidade consumidora e trocar energia com a distribuidora local.
Pelo sistema, a unidade geradora instalada em uma residência, por exemplo, produzirá energia e o que não for consumido será injetado no sistema da distribuidora, que utilizará o crédito para abater o consumo dos meses subsequentes. Os créditos poderão ser utilizados em um prazo de 36 meses e as informações estarão na fatura do consumidor, a fim de que ele saiba o saldo de energia e tenha o controle sobre a sua fatura.
Os órgãos públicos e as empresas com filiais que optarem por participar do sistema de compensação também poderão utilizar o excedente produzido em uma de suas instalações para reduzir a fatura de outra unidade.

O consumidor que instalar micro ou minigeração distribuída será responsável inicialmente pelos custos de adequação do sistema de medição necessário para implantar o sistema de compensação. Após a adaptação, a própria distribuidora será responsável pela manutenção, incluindo os custos de eventual substituição. Além disso, as distribuidoras terão até 240 dias após a publicação da resolução para elaborar ou revisar normas técnicas para tratar do acesso desses pequenos geradores, tendo como referência a regulamentação vigente, as normas brasileiras e, de forma complementar, as normas internacionais.

A geração de energia elétrica próxima ao local de consumo ou na própria instalação consumidora, chamada de “geração distribuída”, pode trazer uma série de vantagens sobre a geração centralizada tradicional, como, por exemplo, economia dos investimentos em transmissão, redução das perdas nas redes e melhoria da qualidade do serviço de energia elétrica. Como a regra é direcionada a geradores que utilizem fontes renováveis de energia, a agência espera oferecer melhores condições para o desenvolvimento sustentável do setor elétrico brasileiro, com aproveitamento adequado dos recursos naturais e utilização eficiente das redes elétricas. O assunto foi amplamente discutido com a sociedade em uma consulta e uma audiência pública. A audiência ficou aberta no período de 08/08/2011 a 14/10/2011 e, ao todo, foram recebidas 403 contribuições de agentes do setor, universidades, fabricantes, associações, consultores, estudantes e políticos.

Paralelamente ao sistema de compensação de energia, a ANEEL aprovou novas regras para descontos na Tarifa de Uso do Sistema de Distribuição – TUSD e na Tarifa de Uso do Sistema de Transmissão – TUST para usinas maiores (de até 30 MW) que utilizarem fonte solar. Para os empreendimentos que entrarem em operação comercial até 31/12/17, o desconto de 80% será aplicável nos 10 primeiros anos de operação da usina. O desconto será reduzido para 50% após o décimo ano de operação da usina. Para os empreendimentos que entrarem em operação comercial após 31/12/17, mantém-se o desconto de 50% nas tarifas.

Veja a íntegra do texto da resolução normativa nº 482


Confirmado Curso Básico de Energia Solar Fotovoltaica – Belo Horizonte

Solenerg

Curso Básico de Energia Solar Fotovoltaica

Carga horária de 12 horas
Sexta-feira e sábado
14 e 15 de dezembro

Belo Horizonte – MG
Último curso do ano

MÓDULOS DO CURSO:

1. A energia solar fotovoltaica – características básicas e situação atual no mundo e no Brasil. A regulamentação e incentivos para os geradores conectados à rede. Potencial de radiação solar.
2. O módulo fotovoltaico – curva característica e eficiência. A célula fotovoltaica – princípio de funcionamento, tipos e materiais.
3. Gerador fotovoltaico autônomo com baterias – sistemas de corrente continua, alternada e mini-redes, bombeamento d’água, iluminação solar, bateria, controlador de carga e inversor para sistemas solares.
4. Dimensionamento de gerador autônomo – módulos, baterias, controlador de carga e inversor – Exercício prático.
5. Demonstrações práticas em campo: medições de tensão e corrente (caso haja insolação), ângulos de orientação e inclinação, conexão de equipamentos, influência da posição do modulo e do sombreamento, bombeamento de água, escolha de local e instalação de módulos fotovoltaicos.
6. Gerador fotovoltaico conectado à rede: tipos, características especiais dos módulos e dos inversores, regulamentos para instalação.
7. Dimensionamento de gerador para conexão à rede: módulos, inversores, estimativa de produção de energia e custos da energia gerada – Exercício prático.
8. Debates: perspectivas, tendências do mercado e possibilidades de novos negócios.

>> Brochura do curso – clique aqui <<

GARANTA JÁ A SUA VAGA

< inscreva-se aqui > | < detalhes aqui >

 


Curso de energia solar fotovoltaica em Belo Horizonte

O objetivo deste curso compacto é apresentar as tecnologias utilizadas nesta forma de captação da energia solar permitindo aos participantes conhecerem características básicas da tecnologia, dos geradores e do mercado, parâmetros de avaliação, dimensionamento e instalação, propiciando uma capacitação básica para elaboração de projetos e instalações tanto para geradores fotovoltaicos autônomos com baterias quanto para conexão à rede.  Integra o curso uma parte expositiva, uma pratica de dimensionamento de um gerador com baterias e de um gerador para conexão à rede além de demonstrações praticas externas de equipamentos utilizados e conexões.

INSTRUTORES:

  • Eng. Eletricista Carlos Alberto Alvarenga – consultor e especialista na área de energia solar fotovoltaica – Ex-coordenador do programa fotovoltaico da CEMIG – Tutor da disciplina Energia Solar do curso de pós-graduação lato sensu da Universidade Federal de Lavras e autor do livro: Energia Solar – Diretor da empresa Solenerg Engenharia.
  • Eng. Eletricista Moacir Dias Filho – engenheiro especialista com mais de 10 anos de experiência pratica em energia solar fotovoltaica – Diretor da empresa Solenerg Engenharia.
  • Lucas Pimenta – Graduando em Engenharia de Energia da PUC-MG.

 

Garanta já a sua vaga


Análise da Inserção da Geração Solar na Matriz Elétrica Brasileira

NOTA TÉCNICA EPE
Rio de Janeiro
Maio de 2012

“No país, até recentemente, a geração solar conectada à rede elétrica de distribuição não possuía o adequado respaldo regulatório. De fato, o modelo de contratação de energia pelas concessionárias distribuidoras, com referência no Decreto nº 5.163/2.004, determina que a aquisição de energia elétrica proveniente de empreendimentos de geração distribuída seja precedida de chamada pública promovida diretamente pelo agente de distribuição. Este decreto limita esse tipo de contratação a 10% da carga do agente de distribuição e autoriza repasse às tarifas dos consumidores até o limite do valor-referência (VR). A limitação do volume não impõe, presentemente, maiores restrições à contratação da energia solar fotovoltaica. Mas, como o valor do VR em 2011 estava em R$ 151,20 por MWh, e como os custos de geração solar fotovoltaica são significativamente maiores do que tal valor, a leitura que se faz é que este limite de repasse impede o pequeno gerador fotovoltaico distribuído de encontrar ambiente econômico favorável para participar da chamada pública para geração distribuída.”

Clique aqui para visualizar o trabalho completo

 


GERADOR SOLAR FOTOVOLTAICO SOLENERG PARA CONEXÃO À REDE ELÉTRICA

Vantagens de se usar a energia solar para geração de eletricidade com conexão direta à rede elétrica:

  • Geração de eletricidade limpa e ecologicamente correta a partir da luz solar
  • Redução da conta de energia da concessionária
  • Sem necessidade de baterias para armazenamento da energia gerada
  • Totalmente eletro-eletrônico sem peças móveis com durabilidade elevada
  • Segurança para os técnicos da concessionária na manutenção da rede externa
  • Possibilidades de expansão futura
  • Elevada confiabilidade operacional
  • Requer pouca manutenção

 Indicado para:

Geração de eletricidade para conexão à rede interna de energia em galpões, edifícios, condomínios, residências, sítios, fazendas e em outros locais que tenham uma área disponível exposta ao sol e sem sombras.

Características Técnicas:

  •  Energia elétrica disponível para conexão à rede entre 2 fases – 220 V, 60 Hz
  • Capacidade de geração de 2,8 a 5,0 kW

Descrição do gerador:

O gerador pode operar em qualquer região do Brasil sendo que a quantidade de energia gerada dependerá do nível de radiação solar do local e das condições de instalação. O gerador tem um melhor desempenho em regiões de baixa nebulosidade e com os módulos fotovoltaicos instalados em local sem sombras, voltados para o norte geográfico e com inclinação aproximadamente igual à latitude.

Como selecionar o gerador mais adequado:

A escolha do gerador é função da quantidade mensal de energia elétrica que se pretende gerar e da área disponível para instalação dos módulos fotovoltaicos.

Composição do gerador solar fotovoltaico Solenerg para conexão à rede elétrica:

Gerador fotovoltaico: Módulos importados de silício cristalino com garantia de 20 anos quanto à produção de energia e 10 anos contra defeitos de fabricação. Transformam a energia solar captada em corrente elétrica continua.

Inversor: Equipamento importado compacto com garantia de 3 anos contra defeitos de fabricação. Transforma a corrente continua gerada pelos módulos fotovoltaicos em corrente alternada de 220 V – 60 Hz compatível com a rede elétrica local. Sistema avançado com seguidor de máxima potência (MPPT) que garante alta eficiência operacional maximizando o aproveitamento da energia solar. Alta qualidade e grande confiabilidade com fácil instalação em local abrigado ou ao tempo (IP54). Tela de cristal líquido (LCD) que indica a potência instantânea e a produção de energia diária e total, corrente e tensão do painel fotovoltaico, freqüência e tensão da rede. Indicadores de Leds que permitem ver o estado do sistema de forma rápida. Portas de comunicação RS232 e  RJ45 integradas  e software disponível para computador para o monitoramento remoto e solução de problemas.

Acessórios e materiais de instalação

(consulte de acordo com a forma de instalação)

Suporte para o gerador fotovoltaico: para instalação em postes, sobre laje ou telhado. Essencial para o correto posicionamento dos módulos em relação ao Sol (não incluso).

GERADOR SOLAR FOTOVOLTAICO SOLENERG

GERADOR SOLAR FOTOVOLTAICO SOLENERG

 

GERADOR SOLAR FOTOVOLTAICO SOLENERG

GERADOR SOLAR FOTOVOLTAICO SOLENERG