Engenharia do Exército Brasileiro atuando com fotovoltaica

clipboard01Poços artesianos no nordeste, com bomba d’água acionada pela energia elétrica fotovoltaica off grid. É o impacto prático e positivo da energia derivada do sol, melhorando as condições de vida dos brasileiros em localidades remotas, em seus rincões mais humildes. trazendo a festa da água doce e limpa onde ela já não existia mais.

Assista ao vídeo abaixo, gravado pela reportagem da Rede Globo em São João do Sabugi-RN, onde o Comando Militar do Nordeste, Primeiro Grupamento de Engenharia, instalou um dos 200 poços artesianos fotovoltaicos que pretendem espalhar por cinco Estados no NE brasileiro.

O impacto humano, psicológico, social e econômico nestas comunidades é impressionante.

Att
Equipe Solenerg

 


Energia Solar aplicada aos Centros Comunitários de Produção

GUIA PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETOS

Eletrificação rural sustentável e o uso das fontes renováveis de energia – volume 2

IICA/Eletrobras

O Programa Nacional de Universalização do Acesso e Uso da Energia Elétrica – Luz Para Todos – é um programa de eletrificação rural criado pelo Governo Federal e instituído pelo Decreto nº4.873, de 11 de novembro de 2003.

clipboard01Considerado um dos maiores programas de eletrificação rural do mundo, o Programa Luz Para Todos beneficiou inúmeras comunidades no interior do país com o serviço público de energia elétrica. O Programa é coordenado pelo Ministério das Minas e Energia (MME), operacionalizado pelas Centrais Elétricas Brasileiras S.A. (Eletrobras) e executado pelas concessionárias de distribuição ou pelas cooperativas autorizadas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL).

Apesar do significativo avanço do Programa em âmbito nacional, uma parcela da população, que vive principalmente em áreas remotas da região amazônica, ainda carece do benefício do serviço público de energia elétrica. Nessas localidades, levar energia por meio da extensão de redes convencionais de distribuição é uma tarefa inviável por questões técnicas, econômicas ou ambientais. Diante desse desafio, os atores do setor elétrico envolvidos: MME, ANEEL, Eletrobras e Agentes Executores do Programa Luz Para Todos, têm buscado soluções alternativas para a universalização do serviço de energia elétrica, onde as fontes renováveis de energia se apresentam como uma das opções para a eletrificação rural.

Assim, a Eletrobras estabeleceu uma parceria com o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura – IICA, celebrando o Projeto de Cooperação Técnica BRA/IICA/09/ 001 ”Acesso e uso da energia elétrica como fator de desenvolvimento de comunidades do meio rural brasileiro”, em 18 de março de 2009, com a finalidade de criar processos e metodologias para o desenvolvimento de capacidades, na Eletrobras e em seus parceiros, para a execução de projetos com foco no atendimento de energia elétrica para as comunidades que carecem desse serviço, com ênfase na utilização de fontes renováveis e seu uso produtivo como vetor de desenvolvimento dessas comunidades. A dificuldade para a universalização do serviço de energia elétrica em áreas remotas não se restringe apenas às questões logísticas e técnicas, pois ela também passa pelas questões regulatórias e legais.

Diante dessa realidade, a Resolução Normativa da ANEEL nº 493, de 5 de junho de 2012, estabeleceu os procedimentos e as condições de fornecimento por meio de Microssistema Isolado de Geração e Distribuição de Energia Elétrica – MIGDI ou Sistema Individual de Geração de Energia Elétrica com Fonte Intermitente – SIGFI. O Decreto nº 8.387, de 30 de dezembro de 2014, estabeleceu a vigência do Programa Luz Para Todos para até 2018, enquanto o Decreto nº 8.493, de 15 de julho de 2015, determinou que os atendimentos às Regiões Remotas dos Sistemas Isolados sejam feitos através de contratações no âmbito desse Programa.

Pesquisas realizadas na esfera dos programas de eletrificação rural indicam que apenas o acesso à energia elétrica não garante o desenvolvimento socioeconômico local das comunidades. É preciso levar algo mais, que possibilite melhorar a condição de renda dessas comunidades com o uso da eletricidade. Assim, o Governo Federal e a Eletrobras têm investido no desenvolvimento dos Centros Comunitários de Produção – CCP, com o objetivo de promover o uso produtivo e eficiente da energia elétrica.

Nesse contexto e considerando a atual fase do Programa, em que as comunidades sem energia elétrica estão localizadas em áreas remotas e isoladas, ganham força os projetos de geração de energia elétrica a partir de fontes renováveis para o suprimento de unidades modulares de produção. Assim, as novas iniciativas deverão estar focadas na busca de sustentabilidade para esses novos tipos de projetos, considerando o arcabouço regulatório relativo à eletrificação rural e às questões sobre tecnologias e modelos de gestão, de forma a minimizar riscos para as concessionárias de distribuição. Além disso, devem ser priorizadas as ações para difundir técnicas e orientações aos consumidores sobre o uso produtivo e eficiente da energia elétrica.

livroEsperamos que este livro seja um instrumento de capacitação, ou orientação, para profissionais do Setor Elétrico e auxilie os Agentes Executores, ou seja, as concessionárias de distribuição e as cooperativas de eletrificação rural autorizadas, no alcance de suas metas de universalização do acesso ao serviço de energia elétrica, com a replicação de projetos de geração por meio de sistemas solares fotovoltaicos para beneficiamento de produtos primários em comunidades rurais localizadas em áreas remotas, impossibilitadas de atendimento pela rede de distribuição.

Eduardo Luís de Paula Borges
Gerente da Divisão de Estudos Técnicos de Projetos Setoriais da Eletrobras
Diretor Substituto do Projeto de Cooperação Técnica BRA/IICA/09/01

Clique aqui para ler o livro completo

energia-solar-aplicada-aos-centros-comunitarios-de-producao

 


Chamada para o curso de fotovoltaica de novembro/16 – ÚLTIMAS VAGAS

CURSO DE PROJETO E INSTALAÇÃO DE GERADORES SOLARES FOTOVOLTAICOS

Chamada para o curso de fotovoltaica de novembro/16 – ÚLTIMAS VAGAS2

Capacite-se ainda este ano. A turma dos dias 17, 18 e 19 de novembro do nosso curso de geração de eletricidade fotovoltaica está pronta.

Ementa/brochura do curso – veja aqui

Ficha de pré inscrição – veja aqui

São as últimas vagas de 2016, aproveite! Inscreva-se ainda hoje e garanta a sua capacitação. Aproveite para indicar a um amigo ou colega de trabalho.

” (…) Na Solenerg, um curso mais completo que os demais disponíveis. São 3 dias de intenso aprendizado, com 20 horas/aula, proporcionando a cada participante uma experiência + efetiva e valiosa, abrindo as portas da tecnologia fotovoltaica, que nos próximos meses deverá gerar cerca de 100 mil novos postos de trabalho especializados (…)”

————–

Mais informações com Caetano:
Fixo:(31) 3166-6142
Vivo:(31) 99530-7411 (whatsapp)
————–
cursos-solenerg-engenharia2Uma oportunidade única para você aprender, dominar e se aprimorar na tecnologia fotovoltaica

Curso interativo e dinâmico que inclui apresentação das tecnologias utilizadas na área fotovoltaica, de técnicas de projeto (dimensionamento e elaboração de projetos conceituais, memoriais descritivos e diagramas) e instalação de micro geradores fotovoltaicos, tanto autônomos quanto conectados à rede, dos procedimentos para solicitar conexão à rede da Cemig e práticas de dimensionamento, de instalação de painel em telhado, de montagem de uma caixa de proteção e visita técnica a um gerador conectado à rede em operação.

Próxima turma: 17 à 19 de novembro de 2016
Carga horária: 20 h – quinta e sexta > 08h30 às 17h30; e sábado > 08h30 às 12h30;
Local: Centro de Capacitação em Tecnologia (CCT) da Loja Elétrica
Av. Pedro II, nº 3.703, bairro Padre Eustáquio, Belo Horizonte – MG > clique aqui para ver no mapa;

Forma de pagamento: transferência ou depósito em conta-corrente (solicitamos que nos envie por e-mail o comprovante logo após efetuar o pagamento);

Valor: R$ 1.100,00*
*Para pagamentos confirmados até 14 dias antes da data de início do curso haverá um desconto especial de 10%;
*Para pagamento entre 14 e 7 dias antes do curso haverá um desconto especial de 5%.

cursos-solenerg-engenharia1Para mais detalhes, clique aqui para ver a brochura do curso

—————–

INSCRIÇÕES

Primeiro passo: Inscreva-se agora > clique aqui para preencher a ficha de pré inscrição;

Segundo passo: A Solenerg enviará um e-mail reservando a sua vaga, com instruções para pagamento; Efetue seu pagamento o mais breve possível e encaminhe seu comprovante por email;

Terceiro passo: Identificado seu pagamento, a Solenerg enviará um e-mail com a confirmação da sua inscrição e um documento com instruções completas para o dia do curso, além de um link para estudos e download do material, para sua preparação.

Confirme com antecedência sua inscrição. Aproveite o desconto especial.

Não deixe para os últimos dias! As vagas são limitadas e terminam rapidamente.

Att
Equipe Solenerg Engenharia
Fixo:(31) 3166-6142
Vivo:(31) 99530-7411 (whatsapp)
cursos@solenerg.com.br
www.solenerg.com.br

————–

Curso de Projeto e Instalação de Geradores Solares Fotovoltaicos on-off grid
Organização Solenerg Engenharia Ltda.
CNPJ: 02 128 550 0001-16
www.solenerg.com.br


Curso de energia elétrica fotovoltaica em novembro/16

Curso de Projeto e Instalações de Geradores Solares Fotovoltaicos on/off grid

” (…)Um curso interativo e dinâmico, mais completo do que os disponíveis atualmente. São 3 dias de intenso aprendizado, com 20 horas/aula, proporcionando a cada participante uma experiência + completa e valiosa, abrindo as portas para essa tecnologia que nos próximos meses deverá gerar cerca de 100 mil novos postos de trabalho especializados.(…)”

A próxima turma do CURSO DE PROJETO E INSTALAÇÃO DE GERADORES SOLARES FOTOVOLTAICOS da Solenerg Engenharia vai acontecer nos próximos dias em Belo Horizonte/MG.

Aproveite a turma de novembro/16 – (17, 18 e 19) – que está sendo formada. Garanta sua vaga.

cursos-solenerg-engenharia

Nosso curso inclui a apresentação das tecnologias utilizadas na área, de técnicas de projeto (dimensionamento e elaboração de projetos conceituais, memoriais descritivos e diagramas) e instalação de micro geradores fotovoltaicos, tanto autônomos quanto conectados à rede, dos procedimentos para solicitar conexão à rede da Cemig e práticas de dimensionamento, de instalação de painel em telhado, de montagem de uma caixa de proteção e visita técnica a um gerador conectado à rede em operação.

Com escopo e objetivos bem definidos, o curso apresenta as tecnologias utilizadas nesta forma de captação da energia solar, permitindo aos participantes conhecerem características básicas da tecnologia, dos geradores e do mercado, parâmetros de avaliação, dimensionamento e instalação, propiciando uma capacitação para elaboração e análise de projetos conceituais, memoriais descritivos, diagramas e para trabalhos de instalação de micro geradores.

O curso é realizado de uma forma interativa e inclui uma parte expositiva, uso de software (PVSyst), práticas de campo e de dimensionamento de geradores autônomos e para conexão à rede (estudo de casos). Inclui visita técnica a uma instalação de geração fotovoltaica conectada à rede em operação.

Serão entregues a cada participante certificado de participação, uma apostila e disponibilizado um pacote digital com o conjunto de slides e filmes apresentados, exercícios e documentos importantes.

Próxima turma: 17 de novembro de 2016
logoCarga horária: 20 h – quinta e sexta > 08h30 às 17h30; e sábado > 08h30 às 12h30;
Local: Centro de Capacitação em Tecnologia (CCT) da Loja Elétrica
Av. Pedro II, nº 3.703, bairro Padre Eustáquio, Belo Horizonte – MG > clique aqui para ver no mapa;

Forma de pagamento: transferência ou depósito em conta-corrente (solicitamos que nos envie por e-mail o comprovante logo após efetuar o pagamento);

Valor: R$ 1.100,00 (são 3 dias de aprendizado, 20hs/aula)

Organização:
Solenerg Engenharia Ltda
CNPJ: 02 128 550 0001-16
www.solenerg.com.br
————–
Para mais detalhes, clique aqui para ver a brochura do curso

INSCRIÇÕES

solenerg-curso edicao 9Primeiro passo: Inscreva-se agora > clique aqui para preencher a ficha de pré inscrição;
Segundo passo: A Solenerg enviará um e-mail reservando a sua vaga, com instruções para pagamento; Efetue seu pagamento o mais breve possível e encaminhe seu comprovante por email;
Terceiro passo: Identificado seu pagamento, a Solenerg enviará um e-mail com a confirmação da sua inscrição e um documento com instruções completas para o dia do curso, além de um link para estudos e download do material, para sua preparação.

Confirme com antecedência sua inscrição. Aproveite o desconto especial.
Não deixe para os últimos dias! As vagas são limitadas.

Att.
Equipe Solenerg Engenharia
(31) 3166-6142 | (31) 99530-7411 (whatsapp)
www.solenerg.com.br

Um curso interativo e dinâmico, mais completo do que os disponíveis atualmente. São 3 dias de intenso aprendizado, com 20 horas/aula, proporcionando a cada participante uma experiência + completa e valiosa, abrindo as portas para essa tecnologia que nos próximos meses deverá gerar cerca de 100 mil novos postos de trabalho especializados.


Tesla e Panasonic entram em nova parceria para construir painéis solares

A Tesla publicou em seu blog oficial uma notícia informando que fez uma parceria com a Panasonic para produzir painéis solares na cidade de Buffalo, EUA.

Contudo, esse negócio só deve se concretizar caso a incorporação da SolarCity por parte da Tesla aconteça. Os acionistas das duas companhias devem voltar o assunto em 17 de novembro.

17115651669090-t1200x480Vale destacar que, assim como a Tesla, o maior acionista da Solar City é o milionário Elon Musk. Ele pretende unificar as duas companhias para conseguir melhorar a colaboração entre as empresas, tornando a Tesla não apenas uma fabricante de carros elétricos, mas também uma fornecedora de equipamentos para energia solar.

A Tesla ainda vende as superbaterias Powerwall e Powerpack, que são para uso doméstico juntamente com painéis solares. A Panasonic inclusive já trabalha com a empresa na fabricação dessas baterias, capazes de guardar energia suficiente para manter uma casa funcionando quando não há luz solar.

“Estamos muito animados em expandir nossa parceria com a Panasonic enquanto avançamos para uma integração entre Tesla e SolarCity. Ao trabalharmos juntos, poderemos acelerar a produção de celulares solares e módulos supereficientes e extremamente confiáveis a um bom preço”, comentou JB Straubel, diretor de tecnologia na Tesla.

_______________ original:

Tesla and Panasonic to Collaborate on Photovoltaic Cell and Module Production in Buffalo, New York

Tesla and Panasonic have entered into a non-binding letter of intent under which they will begin collaborating on the manufacturing and production of photovoltaic (PV) cells and modules in Buffalo, New York. Under this agreement, which is contingent upon shareholders’ approval of Tesla’s acquisition of SolarCity, Tesla will use the cells and modules in a solar energy system that will work seamlessly with Powerwall and Powerpack, Tesla’s energy storage products. With the aid of installation, sales and financing capabilities from SolarCity, Tesla will bring an integrated sustainable energy solution to residential, commercial, and grid-scale customers.

The parties intend for Panasonic to begin PV cell and module production at the Buffalo facility in 2017. Tesla intends to provide a long-term purchase commitment for those cells from Panasonic.

The collaboration extends the established relationship between Tesla and Panasonic, which includes the production of electric vehicle and grid storage battery cells at Tesla’s Gigafactory.

JB Straubel, Chief Technical Officer and Co-founder of Tesla, said “We are excited to expand our partnership with Panasonic as we move towards a combined Tesla and SolarCity. By working together on solar, we will be able to accelerate production of high-efficiency, extremely reliable solar cells and modules at the best cost.”

Shuuji Okayama, Vice-president, Eco Solutions Company of Panasonic, added, “Panasonic PV cells and modules boast industry-leading power generation performance, and achieve high quality and reliability. We expect that the collaboration talks will lead to growth of the Tesla and Panasonic relationship.”

The continued partnership between Tesla and Panasonic is an important step in creating fully-integrated energy products for businesses, home owners and utilities, and furthers Tesla’s mission toward a sustainable energy future.

_______________

FONTE: TESLA

BNDES prioriza energia solar e deixa de financiar térmicas a carvão e a óleo

Alana Gandra – Repórter da Agência Brasil

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) decidiu ampliar o apoio a projetos de energia solar de até 70% para até 80% dos itens financiáveis em Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), usada pela instituição em suas operações e atualmente em 7,5% ao ano. O banco também extinguiu o financiamento a usinas térmicas a carvão e a óleo.

imagesAs novas condições de financiamento para o setor de energia elétrica foram divulgadas hoje (3), pela instituição, no Rio de Janeiro, e já valem para os próximos leilões de energia, programados para outubro e dezembro próximos. O banco não concederá mais empréstimos-ponte para empreendedores do setor elétrico. Há exigência de participação mínima de 20% de recursos próprios do investidor nos projetos, com possibilidade de emissão de debêntures (título de crédito representativo de empréstimo que uma companhia faz junto a terceiros), das quais o BNDES se compromete a adquirir até 50%, visando reduzir o risco, principalmente na fase de construção do empreendimento.

A diretora de Infraestrutura e Sustentabilidade do BNDES, Marilene Ramos, informou que as decisões foram tomadas em consenso com o Ministério de Minas e Energia e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). O objetivo é privilegiar, dentro dos recursos de TJLP, projetos de fontes de energia alternativas que mostram maior retorno social e ambiental. Haverá ainda espaço para financiamentos a taxa de mercado, buscando maior participação do setor privado na emissão de debêntures, segundo Marilene.

A diretora disse que a priorização para energia solar está ligada ao fato que essa é uma tecnologia em fase de desenvolvimento no Brasil e é preciso consolidar o segmento no setor de energia brasileiro. O banco manteve em até 80% sua participação em projetos de eficiência energética, definindo o mesmo nível de financiamento para projetos de iluminação pública eficiente.

“É um setor que, nós acreditamos, vai crescer muito, porque são projetos de grande viabilidade, têm condições de, financiados dessa forma, se pagarem em prazos relativamente curtos, e representam, para as cidades e prefeituras, uma enorme economia. Além disso, têm um impacto social muito grande, na medida em que as cidades mais iluminadas são mais seguras, permitem opções de lazer noturno e, além disso, propiciam a instalação aqui de uma cadeia de produção de todos os equipamentos”. Na questão específica das luminárias a ‘led’, Marilene Ramos destacou que é um mercado que gera empregos de alto nível e qualidade.

Energias alternativas

O BNDES decidiu manter em até 70% em TJLP sua participação nos itens financiáveis nas demais fontes alternativas, entre as quais eólica, biomassa, pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) e cogeração renovável. O intuito é dar incentivos à participação dessas fontes na matriz energética nacional. Para energia eólica, em especial, o prazo de financiamento é de 16 anos, “tendo em vista a vida útil do equipamento”, observou a superintendente da Área de Energia, Carla Primavera. Para as demais energias alternativas, o prazo de financiamento é de 20 anos.

A diretora de Infraestrutura disse que as novas condições de financiamento à energia elétrica estão alinhadas com o compromisso assumido pelo governo brasileiro no Acordo de Paris, em dezembro do ano passado, para aumentar a participação das energias alternativa na matriz. Daí a decisão do banco de não financiar mais usinas termelétricas a carvão e a óleo, responsáveis pela maior emissão de gases poluentes na atmosfera.

Dentro da meta de ampliar a participação privada nos setores de geração de energia de grandes usinas hidrelétricas, linhas de transmissão e distribuição, o BNDES promoveu alterações, prevendo participação maior do mercado privado. No caso das hidrelétricas, por exemplo, o banco reduziu a parcela em TJLP dos itens financiáveis de 70% para 50%. Marilene Ramos lembrou, porém, que assim como todos os demais setores, a participação do BNDES poderá se elevar até 80% do valor total dos itens financiáveis, incluindo a emissão de debêntures a serem emitidas pelo empreendedor.

No caso do setor de distribuição de energia, o banco manteve o financiamento em 50% dos itens financiáveis, sendo que a metade disso será com recursos em TJLP e a outra metade em taxas de mercado. No setor de transmissão, ocorreu alteração maior, onde a participação do banco chega a até 80% dos itens financiáveis, mas integralmente a custos de mercado. Nessa área, o banco alongou o prazo de financiamento para 20 anos, prevendo a possibilidade de emissão de debêntures.

Marilene Ramos informou que a decisão de deixar as linhas de transmissão sem crédito mais barato ou subsidiado, representado pela TJLP, objetiva evitar distorções em relação à geração. “Porque uma linha de transmissão muito longa, financiada a TJLP, acaba mascarando a maior ou menor viabilidade de um projeto de geração que está localizado em regiões mais distantes, em detrimento de outro que poderia ser mais viável. A ideia é que dentro do financiamento de linhas de transmissão, essa condição é totalmente internalizada na modelagem, antes do leilão e, com isso, você vai ter uma visão mais realista do que efetivamente custa transmitir energia no país, e não diluir parte desses custos para o conjunto geral dos consumidores”. A meta é definir seus custos reais, completou.

Térmicas a carvão

china-registra-novamente-grande-nivel-de-poluicao1A diretora Marilene Ramos afirmou que a decisão do BNDES de não financiar mais térmicas a carvão e a óleo, com o objetivo de promover a participação na matriz de fontes de energia limpas, não impede que haja projetos com carvão no país desde que sejam financiados pelo mercado em geral. A superintendente de Energia, Carla Primavera, acrescentou que os projetos relativos a leilões passados respeitam as condições divulgadas pelo BNDES antes de sua realização. “Eventualmente, se existir algum projeto dentro da casa para aprovação, que foi objeto de um leilão passado, as condições passadas são respeitadas”.

Empréstimo-ponte

O banco não concederá mais empréstimos-ponte para empreendimentos do setor elétrico. “Mas estamos trabalhando para dar agilidade ao processo de financiamento internamente para que o empreendedor possa contar rapidamente com financiamento de longo prazo, evitando situações em que, às vezes, o projeto já está muito avançado quando, enfim, se consegue aprovar financiamento de longo prazo. Nós queremos tirar o empréstimo-ponte e colocar nesse lugar agilidade. Esse é o nosso objetivo”, ressaltou Marilene Ramos. Não há impedimentos para que o investidor faça também empréstimos pelo mercado, segundo a diretora.

Edição: Maria Claudia

Curso de projeto e instalação de geradores solares fotovoltaicos da Solenerg – próxima turma em 27/10/16

 

” (…)Um curso interativo e dinâmico, mais completo do que os disponíveis atualmente. São 3 dias de intenso aprendizado, com 20 horas/aula, proporcionando a cada participante uma experiência + completa e valiosa, abrindo as portas para essa tecnologia que nos próximos meses deverá gerar cerca de 100 mil novos postos de trabalho especializados.(…)”

A próxima turma do CURSO DE PROJETO E INSTALAÇÃO DE GERADORES SOLARES FOTOVOLTAICOS ON OFF GRID da Solenerg Engenharia vai acontecer nos próximos dias em Belo Horizonte/MG.

Aproveite a turma de outubro/16 (27, 28 e 29) que está sendo finalizada. Garanta sua vaga.

cursos-solenerg-engenharia

Um curso interativo e dinâmico, mais completo do que os disponíveis atualmente. São 3 dias de intenso aprendizado, com 20 horas/aula, proporcionando a cada participante uma experiência + completa e valiosa, abrindo as portas para essa tecnologia que nos próximos meses deverá gerar cerca de 100 mil novos postos de trabalho especializados.

Inclui apresentação das tecnologias utilizadas na área, de técnicas de projeto (dimensionamento e elaboração de projetos conceituais, memoriais descritivos e diagramas) e instalação de micro geradores fotovoltaicos, tanto autônomos quanto conectados à rede, dos procedimentos para solicitar conexão à rede da Cemig e práticas de dimensionamento, de instalação de painel em telhado, de montagem de uma caixa de proteção e visita técnica a um gerador conectado à rede em operação.

logoPróxima turma: 27 à 29 de outubro de 2016
Carga horária: 20 h – quinta e sexta > 08h30 às 17h30; e sábado > 08h30 às 12h30;
Local: Centro de Capacitação em Tecnologia (CCT) da Loja Elétrica
Av. Pedro II, nº 3.703, bairro Padre Eustáquio, Belo Horizonte – MG > clique aqui para ver no mapa;

Forma de pagamento: transferência ou depósito em conta-corrente (solicitamos que nos envie por e-mail o comprovante logo após efetuar o pagamento);

Valor: R$ 1.100,00 (são 3 dias de aprendizado, 20hs/aula)

Organização:
Solenerg Engenharia Ltda
CNPJ: 02 128 550 0001-16
www.solenerg.com.br
————–
Para mais detalhes, clique aqui para ver a brochura do curso

INSCRIÇÕES

Primeiro passo: Inscreva-se agora > clique aqui para preencher a ficha de pré inscrição;
Segundo passo: A Solenerg enviará um e-mail reservando a sua vaga, com instruções para pagamento; Efetue seu pagamento o mais breve possível e encaminhe seu comprovante por email;
Terceiro passo: Identificado seu pagamento, a Solenerg enviará um e-mail com a confirmação da sua inscrição e um documento com instruções completas para o dia do curso, além de um link para estudos e download do material, para sua preparação.

Confirme com antecedência sua inscrição. Aproveite o desconto especial.
Não deixe para os últimos dias! As vagas são limitadas.

Att.
Equipe Solenerg Engenharia
(31) 3166-6142 | (31) 99530-7411 (whatsapp)
www.solenerg.com.br


Energia solar cativa brasileiros e cresce 400%

Cresceu 400% o número de instalações de painéis solares no Brasil. Quem usa a energia do sol não precisa economizar e ainda sai no lucro.

São 160 novas instalações por dia no Brasil – Reportagem, Rede Record.

 

 

Fonte: R7 – Rede Record


Perguntas e Respostas sobre a aplicação da Resolução Normativa nº 482/2012 – atualizado em 1/03/2016

noticia2A Resolução Normativa ANEEL nº 482/2012 define o Sistema de Compensação como um arranjo no qual a energia ativa injetada por unidade consumidora com microgeração ou minigeração distribuída é cedida, por meio de empréstimo gratuito, à distribuidora local e posteriormente compensada com o consumo de energia elétrica ativa. Esse sistema é também conhecido pelo termo em inglês net metering. Nele, um consumidor de energia elétrica instala pequenos geradores em sua unidade consumidora (como, por exemplo, painéis solares fotovoltaicos ou pequenas turbinas eólicas) e a energia gerada é usada para abater o consumo de energia elétrica da unidade. Quando a geração for maior que o consumo, o saldo positivo de energia poderá ser utilizado para abater o consumo em outro posto tarifário ou na fatura do mês subsequente. Os créditos de energia gerados continuam válidos por 60 meses. Há ainda a possibilidade de o consumidor utilizar esses créditos em outras unidades previamente cadastradas dentro da mesma área de concessão e caracterizada como autoconsumo remoto, geração compartilhada ou integrante de empreendimentos de múltiplas unidades consumidoras (condomínios). <<…continua>>

MATERIAL COMPLETO – CLIQUE AQUI

ANEEL-perguntas e respostas


Potencial de expansão da geração solar no mundo e no Brasil

O potencial de expansão da geração solar no mundo e no Brasil é imenso. Veja o relatório do MME.

“… Os aproveitamentos da energia solar mais representativos, realizados pelo homem, são: o chamado aproveitamento fotovoltaico (FV), que converte a luz do sol em energia elétrica; o aproveitamento da luz solar por concentração (CSP – Concentrating Solar Power), que produz calor para uso direto ou geração de energia elétrica e; o aproveitamento por meio de coletores, que realizam o aquecimento direto da água e/ou de ambientes a partir da luz do sol. No caso da conversão fotovoltaica da luz solar, pode ser aplicada em pequenos sistemas autônomos, em geral geração distribuída – GD, e em grandes centrais, que empregam energia solar, de modo centralizado. O aproveitamento por concentração (CSP) é mais apropriado para grandes centrais…”

Clique aqui para ler a peça do MME completa


Solenerg Engenharia - Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil | by ostiore