Inversores

Modelos:

Inversores com onda senoidal modificada

Modelo

Potência contínua de saída (W)

Tensão de entrada (Vcc)

Tensão de saída (Vca)

Catálogo

Hayonik 49091 100 12 127

Caracteristicas do produto em .pdf

Hayonik 49092 100 12 220
Hayonik 50078 150 12 127
Hayonik 50079 150 12 220
Hayonik 50080 200 12 127
Hayonik 50081 200 12 220
Hayonik 50082 300 12 127
Hayonik 50083 300 12 220
Hayonik 45089 400 12 127
Hayonik 48449 400 12 220
Hayonik 48454 400 24 127
Hayonik 49045 400 24 220
Hayonik 50084 600 12 127
Hayonik 50085 600 12 220
Hayonik 45090 800 12 127
Hayonik 48451 800 12 220
Hayonik 48455 800 24 127
Hayonik 50086 1000 12 127
Hayonik 50087 1000 12 220
Hayonik 48453 1000 12 127
Hayonik 49046 1000 12 220
Hayonik 45091 1200 12 127
Hayonik 48452 1200 12 220
Hayonik 48456 1200 24 127
Hayonik 50088 1500 12 127
Hayonik 50089 1500 12 220
Hayonik 49048 2000 12 127
Hayonik 49049 3000 12 127
Hayonik 56143 5000 12 127

Inversores para conexão à rede

Modelo

Potência máxima de saída (W)

Potência máxima dos módulos fotovoltaicos (Wp)

Faixa de tensão de entrada (Vcc)

Tensão nominal de saída (Vca)

Catálogo

Sunny Boy 2000HF 2000 2400 175V  - 560V 220V - 230V - 240V

Caracteristicas do produto em .pdf

Sunny Boy 2500HF 2500 3000 175V  - 560V 220V - 230V - 240V
Sunny Boy 3000HF 3000 3600 210V  - 560V 220V - 230V - 240V

Conceitos básicos

Para que servem?

Muitos equipamentos elétricos, principalmente eletrodomésticos, estão disponíveis apenas em corrente alternada, usualmente na faixa de 127 V e 220 V – 60 Hz. O mercado ainda não disponibiliza em corrente contínua toda a gama de equipamentos que podem ser usados em sistemas fotovoltaicos, tais como televisores, DVD, etc. A função do inversor é transformar a energia elétrica contínua das baterias em energia elétrica alternada adequada para estes equipamentos. Usualmente trabalham com tensões de entrada de 12 ou 24 ou 48 Vcc e convertem para 120 ou 240 Vca na freqüência de 60 Hz. Outra vantagem de se trabalhar com inversores é que se eleva o nível de tensão de trabalho reduzindo-se o diâmetro dos cabos elétricos e as perdas ôhmicas já que se trabalha com correntes menores.

Limitações: 

Em algumas instalações o uso de inversor deve ser evitado pois apresenta um custo significativo, eleva a complexidade dos sistemas sendo fonte de defeitos, reduz a eficiência global da instalação, eleva a tensão aumentando o risco de choques elétricos. As perdas elétricas no inversor podem ser muito grandes, podendo variar em inversores de boa qualidade entre 5 e 15% mas podendo chegar a até mesmo 30% em alguns inversores no mercado quando em operação com pequenas cargas. A qualidade do equipamento influencia muito na eficiência de acordo com a concepção do circuito interno. Recomenda-se que sejam usados inversores bem dimensionados sem muita folga. Este procedimento permite que o inversor trabalhe mais próximo a plena carga e com maior eficiência. É interessante que o consumo do inversor em situações de carga zero seja muito pequeno permanecendo no modo stand-by (disponível em poucos equipamentos).

Alguns aparelhos representam desafios para o inversor: motores (geladeira, liquidificador, ventilador, etc) que apresentam uma corrente de partida muito elevada, reatores eletrônicos de lâmpadas fluorescentes (muitos não aceitam formas de onda com muita distorção). É preciso que o fornecedor seja consultado sobre as possibilidades do inversor desejado ser compatível com o aparelho que será ligado.

Existem inversores que apresentam na saída uma forma de onda praticamente senoidal, outros trabalham com uma forma de onda senoidal modificada ou mesmo com onda quadrada. Quanto mais senoidal é a forma da onda maior é a qualidade do inversor, menor o nível de distorção e maior o custo.

 

 

<< Volta ao inicioSolenerg Engenharia

 

 

 

 

 
   
  Solenerg Engenharia – Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil