Os avanços das energias renováveis no Brasil

Muito se fala de energia renováveis e poucos sabem que o Brasil é um dos países que mais contribuem como exemplo mundial, como uma nação em que as energias renováveis fazem parte de sua matriz energética. Em 2016 temos o seguinte cenário comparando a utilização de fontes renováveis e não renováveis para a geração de energia elétrica no Brasil e no mundo:

Mas será que essa característica é boa para o Brasil ?

Ocorre que dessa utilização de energia elétrica, mais de 80% (oitenta porcento) provém de fonte hidráulica (Centrais Hidroelétricas) que nem sempre dispõem de água suficiente para gerar energia e que proporcionam danos ambientais cada vez mais questionáveis.

Nesse sentido podemos dizer: Apesar da matriz energética brasileira ser fortemente sustentada pela energia renovável de fonte hidráulica, isso não confere ao país uma estabilidade no suprimento de energia. Para exemplificar essa situação temos o racionamento de energia vivido em 2001 e o risco de racionamento de 2014, que não se concretizou por razões políticas e cujas contas pagamos até hoje com os reajustes de energia muito acima da inflação.

Por esse aspecto a EPE – |Empresa de Planejamento Energético do Brasil vem proporcionando Leilões de compra de energia produzidas por fontes renováveis utilizando outras fontes primárias, que não a água, quais sejam: Eólica(ventos), Biogás (dejetos orgânicos) e Solar Fotovoltaica (o Sol).

Apesar do forte crescimento da energia eólica no Brasil que hoje já representa 6,8% da geração de energia, o futuro nos leva ao SOL, como fonte primária de energia. Hoje corresponde a apenas 0,1% da matriz energética, porém é abundante em toda parte do Brasil, e o mais importante: podemos gerar energia com o sol onde consumimos, ou seja, no telhado de nossa casa ou no campo remoto onde a rede elétrica é normalmente precária.

A própria EPE projeta par 2040 um cenário no qual a energia solar fotovoltaica ocupe o papel de protagonista da produção de energia, sendo responsável por 32% da matriz energética, ou seja, representado um aumento de 320 vezes em relação à situação em 2017.

Em números para a economia brasileira, teremos um investimento no setor fotovoltaico nos próximos anos de R$ 11 Bilhões por ano em média. Qual o setor da economia brasileira movimenta esse recurso atualmente?

Importante dizer que esse movimento NÃO acontecerá apenas com os grandes operadores do setor elétrico. A geração de energia elétrica distribuída utilizando a fonte solar fotovoltaica tem aberto a oportunidade de milhares de brasileiros participarem de um setor outrora restrito às grandes empresas de eletricidade. Existem atualmente mais 3.000 empresas no mercado oferendo a oportunidade de geração fotovoltaica, onde nós, consumidores de energia elétrica, podemos produzir a energia que necessitamos.

Dentre essas empresas, cerca de 90% delas são microempresários que enxergam nesse nicho de negócio uma oportunidade de ganhos. Atualmente o investimento em energia solar fotovoltaica tem permitido um retorno do investimento entre 4 a 5 anos após a instalação do sistema.

Em outras palavras, o Brasil celeiro de energias renováveis e abençoado por natureza pelo Sol de norte a sul do país, tende, em poucos anos a se tornar a maior nação do planeta a utilizar fontes renováveis de energia elétrica, sem com isso ficar a mercê da pluviometria como tem acontecido nas últimas décadas, afinal quando não tem chuva e água, o que não nos vai faltar é sol e ventos. Vivas ao nosso querido Brasil!!

fonte: Correio 24hs

Deixe uma resposta